Varejo deve encerrar abril com retração de 5,62%, diz IBEVAR

De acordo com a pesquisa "Projeção de Vendas" do IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo, o varejo ampliado, que inclui material de construção e automóveis, deve registrar uma retração de 5,62 % em abril, comparado ao mês anterior. Já em relação ao mesmo período de 2019, a previsão é uma queda de 16,94% nas vendas. 
 

Para o economista e presidente do IBEVAR, Claudio Felisoni de Angelo, os dados são explicadosprincipalmente pelo avanço do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil. "A pandemia desestabilizou o país e a confiança do consumidor, que se vê em um momento de incerteza. Ao mesmo tempo, varejistas de itens não-essenciais são impactados pela política de isolamento social para que haja controle do contágio pelo vírus. É um cenário inevitável para o fechamento de Abril e para o próximo mês", afirma. 
 

O estudo indica uma retração nas categorias de "combustíveis e lubrificantes" (40,82 p.p); "materiais de construção" (-30,16 p.p); "veículos, motos, partes e peças" (-16,04 p.p); "móveis e eletrodomésticos" (-9,39 p.p) e "tecidos, vestuários e calçados" (9,14 p.p). 
 

Já os segmentos que devem fechar com desempenho mais significativo, ainda que tímido, são: "outros artigos de uso pessoal e doméstico" (9,20 p.p); "artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos" (8,28 p.p); "hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo" (2,21 p.p). 

Compartilhe