Otimismo do empresário do comércio cresce pelo segundo mês consecutivo

Indicador capta as percepções dos empresários com relação à economia, ao setor de atuação e sobre a empresa

 

A confiança dos empresários continua crescendo – e pelo segundo mês consecutivo. É o que aponta o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Segundo o levantamento de julho, o otimismo dos empresários cresceu 9,1% na transição entre os meses. O indicador que, em junho, estava em 90,6 pontos, chegou a 98,9.

 

O que também aumentou significativamente foi o Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), que passou de 56,3 para 68,4 pontos neste mês, representando um aumento de 21,5%. No mês anterior, em comparação a maio, o crescimento havia alcançado 5,4%. A adaptação do comércio ao contexto da crise sanitária e o avanço da vacinação estão por trás da melhora deste cenário.

 

Os demais subíndices que compõe a avaliação da confiança dos gestores também apresentaram alta, apesar do resultado de alguns serem menos expressivos com relação ao mês anterior, como o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC), que aumentou 4,5% contra 10,5%, em junho. Já o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) obteve alta de 7,8% (6,2% em junho). Com 2020 em perspectiva, os três subindicadores também avançaram. E apesar de o ano representar uma base de comparação muito fragilizada em razão do início e do desenrolar da pandemia, os resultados são positivos na avaliação da Federação.

 

O Índice de Expansão do Comércio (IEC) também divulgado pela Entidade, cresceu 10,1%. Um pouco menos do que o registrado em junho, quando apontou 10,9% – de 88,3 para 97,2 pontos.

 

Tendo em vista a taxa de desemprego, é também animadora a alta da variável que mede as Expectativas para Contratação de Funcionários (IEC): 9,5%, passando de 113,2 para 123,9 pontos, apesar de o resultado também ser um pouco abaixo do registrado anteriormente (14,1%).

 

No levantamento deste mês, outro indicador que apresentou resultado positivo foi o Índice de Estoque (IE), crescendo bem mais comparado a junho (1,7%), chegando a 6,2% e superando os 100,8 pontos, fechando o mês com 107,1. A pesquisa também indica que a proporção dos empresários que consideram a situação adequada subiu de 49,9%, em junho, para 53%, em julho.

 

Planejamento e cautela

 

Para os empresários do comércio, a orientação é administrar e estimular a solidez e o crescimento da empresa, seja por meio da administração do fluxo de caixa, seja pelo planejamento das finanças ou do acompanhamento de tudo o que influencia a performance econômica do negócio.

 

A gestão de estoque precisa ser cautelosa. Prever o cenário e estimar a receita da empresa, por meio de uma nova realidade para o decorrer do ano, também são trabalhos importantes para a tomada de decisões. A partir daí, controla-se o fluxo de caixa diário, fazendo um balanceamento entre contas a pagar e recebíveis.

 

 

Notas metodológicas

 

ICEC

 

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla a percepção do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas feitas em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que, por sua vez, pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, contudo sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.

 

IEC

 

O Índice de Expansão do Comércio (IEC) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011, com dados de cerca de 600 empresários. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A análise dos dados identifica a perspectiva dos empresários do comércio em relação a contratações, compra de máquinas ou equipamentos e abertura de novas lojas. Apesar desta pesquisa também se referir ao município de São Paulo, sua base amostral abarca a região metropolitana.

 

 

IE

 

O Índice de Estoque (IE) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011 com dados de cerca de 600 empresários do comércio no município de São Paulo. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques: acima (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e abaixo (em casos de os empresários avaliarem falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo). Como nos dois índices anteriores, a pesquisa se concentra no município de São Paulo, entretanto sendo a sua base amostral considera a região metropolitana.

Compartilhe