Volkswagen, Raízen e Shell anunciam parceria para acelerar descarbonização

Empresas assinam protocolo de intenções que contempla uma série de iniciativas que visam principalmente o uso do etanol e seus resíduos para a redução das emissões de CO2

A Volkswagen do Brasil, a Raízen e a Shell anunciam uma parceria para valorizar o impacto do uso de energia renovável para descarbonização do setor automotivo. O acordo contempla uma série de iniciativas, estimulando principalmente o uso do etanol, aliado à estratégia complementar entre carros elétricos, híbridos e flex, a instalação de postos de recarga para os carros elétricos da marca, e o fornecimento de energia renovável para as fábricas e rede de concessionários da Volkswagen no Brasil

A parceria contempla o desenvolvimento de potenciais novas fórmulas de etanol pela Raízen, Shell e P&D na área de biocombustíveis no Brasil, com o apoio da Shell e Volkswagen em pesquisa e aplicação nos carros, visando melhorar ainda mais a eficiência do biocombustível. A colaboração também contempla trabalhar na expansão do uso de etanol em mercados internacionais.

“Para a Volkswagen é uma honra estabelecer essa parceria com duas das maiores empresas de energia do Brasil. É um privilégio ter o etanol no Brasil, ele melhora o meio ambiente devido a sua baixa emissão de CO2, gera muitos empregos e contribui para o crescimento da economia do País. Além disso, essa parceria nos ajudará muito no desenvolvimento de tecnologias complementares a partir do etanol e outros biocombustíveis em nosso Centro de P&D no Brasil”, afirma Pablo Di Si, Presidente e CEO da Volkswagen América Latina.

As marcas incentivam o uso do etanol como um biocombustível com baixa emissão de gases de efeito estufa, considerando a metodologia do poço a roda – na qual é considerado o CO2 não renovável emitido pelo escapamento do veículo somado à emissão de CO2 no processo de produção e transporte do combustível.

O acordo considera a intenção de fornecimento de gás natural renovável dos parques de bioenergia da Raízen para substituir o uso do gás natural nas fábricas da Volkswagen no Brasil, a partir da utilização de resíduos da produção de açúcar e etanol trazendo uma redução em emissões se comparado com a alternativa fóssil. O gás natural renovável reduz em mais de 80% as emissões de CO2. Também será feito o fornecimento de energia para a rede de concessionárias Volkswagen por meio das usinas de geração distribuída de energia renovável da Raízen.

“Com todas essas ações em parceria com a Raízen e a Shell, estamos trabalhando não só em soluções para os nossos produtos mas também reforçando a sustentabilidade nas nossas fábricas e na rede de concessionárias. Tudo isso muito integrado ao nosso programa global WayToZero, que tem como objetivo tornar a nossa empresa neutra em carbono até 2050”, complementa Pablo Di Si.

A Raízen, licenciada da marca Shell, ainda pretende implementar uma rede de eletropostos de recarga rápidos Shell Recharge, proporcionando assim uma experiência superior de recarga a clientes com veículos elétricos da Volkswagen. A rede será composta inicialmente no Estado de São Paulo, incluindo postos na capital e nas principais rodovias de acesso, com a intenção de se conectar a algumas das principais cidades do Brasil no futuro. A Raízen vai dar suporte para o programa de testes dos carros elétricos ID. 3 e ID.4 no Brasil, nas fábricas da Volkswagen e no ID Test Drive, primeiro evento com os carros elétricos da Volkswagen que acontece ainda este ano.

“É um prazer poder contar com uma das maiores companhias automotivas do mundo como uma aliada no nosso propósito de redefinir o futuro da energia. Este movimento reforça o nosso papel como uma empresa que apresenta soluções sustentáveis tanto para o presente quanto para o futuro, tendo em vista o desafio de descarbonização global.”, afirma Ricardo Mussa, CEO da Raízen.

“A parceria com a Volkswagen, junto com Raízen, é fundamental para promover a expansão do uso de bioenergia no setor automotivo. A Shell faz investimentos em várias alternativas relacionadas com a transição energética a uma economia de baixo carbono – como o EV e o hidrogênio. Visto que todas as opções são importantes para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e que os biocombustiveis são uma solução já disponível, é um prazer fazer parte de esta iniciativa no Brasil.” afirma Lauran Wetemans, Vice-presidente de negócios de Downstream da Shell para a América Latina

Compartilhe