Com 6 mil aplicações e 1300 produtos, Cobreq completa 60 anos no Brasil

São mais de 6 mil aplicações e cerca de 1300 produtos diferentes, que atendem grande parte da frota de automóveis, caminhões e motocicletas

A Cobreq foi fundada em 28 de outubro de 1961, na cidade de São Paulo, pelo imigrante português Manoel Joaquim D’Almeida, a fabricante iniciou produzindo equipamentos para mergulho. Um ano mais tarde, a indústria automobilística apresentava crescimento e, com isso, a Cobreq passou a produzir materiais de fricção e lonas para freios. Pouco mais de sete anos depois, ela já se destacava por lançar a primeira pastilha de freios para automóveis no Brasil, e em 1975, começou a fornecer também para o mercado de motocicletas.

“Outro destaque industrial ocorreu em 1984, quando a Cobreq inovou ao ser a pioneira na fabricação de pastilhas de freios livre de amianto. A peça inédita no Brasil estreou como equipamento original no Ford Escort. Uma recente inovação da Cobreq foi o lançamento das pastilhas de cerâmica, uma tendência mundial que produz menos sujeira nas rodas e proporciona uma experiência confortável e silenciosa, devido à baixa emissão de ruído”, conta Edilson Jaquetto, vice-presidente das Américas na Cobreq.

Portifólio

A Cobreq atende grande parte da frota de automóveis, caminhões e motocicletas – Foto: Divulgação

A Cobreq faz parte do grupo TMD Friction, que fabrica mais de 1 milhão de produtos todos os dias. “São soluções especialmente projetadas e formuladas para aplicações específicas atendendo tanto montadoras quanto o mercado de reposição, para uma variada gama de veículos. No Brasil, a Cobreq atende grande parte da frota de automóveis, caminhões e motocicletas. São mais de 6 mil aplicações e cerca de 1300 produtos diferentes”.

Estrutura

A Cobreq conta com cerca de 600 colaboradores no Brasil e, em outubro de 2017, com investimentos de R$ 142 milhões foi inaugurada a fábrica em Salto (SP), em uma área total de 100.000 m², sendo 32.000 m² construídos. “Na linha de produção são produzidas pastilhas e lonas de freio das linhas leve, pesada e para motocicletas. Vale reforçar que a Cobreq é líder no fornecimento de equipamento original para a linha leve de veículos e com importante participação no mercado de reposição. Antes da nova unidade, manteve a sua linha de produção por cerca de 40 anos em Indaiatuba, cidade vizinha”, diz .

Indústria 4.0

Jaquetto destaca que a Cobreq está na vanguarda de uma série de inovações. “Nossos principais diferenciais são a tecnologia e a inovação, além da qualidade e dos serviços atrelados às diversas linhas de produtos comercializados presentes em automóveis, veículos comerciais, utilitários, motocicletas, carros de corrida e na indústria”.

Segundo ele, o objetivo é desenvolver a solução técnica perfeita para a aplicação do produto em cada modelo. “Todos os nossos processos são conduzidos com excelência por meio de soluções eficazes, confiáveis e seguras de frenagem. Os números mostram que mais de 200 milhões de motoristas, do mundo todo, contam com a TMD Friction para garantir uma viagem segura e confortável todos os dias. Logo, é possível dizer que entregamos soluções 4.0 e que estamos acompanhando de perto toda a parte do processo, desde a produção, até a entrega do produto final”.

ESG

Edilson Jaquetto, vice-presidente das Américas na Cobreq – Foto: Divulgação

Sobre as boas práticas de ESG, traduzindo para o português, Ambiental, Social e Governança, Jaquetto comenta que a Cobreq já nasceu com o DNA do ESG. “Em 1984, por exemplo, fomos a primeira em lançar pastilhas de freios livre de amianto. Para se ter uma ideia, o minério, também conhecido como asbesto, foi muito utilizado pela indústria por conter grande resistência mecânica, inclusive a altas temperaturas, a ataques ácidos e a bactérias, mas só foi proibido de ser utilizado em 2017”.

Ele destaca que sempre com esse pensamento ambiental inserido em seus pilares, em 2001, a Cobreq conquistou a certificação ISO 14001, que consiste na criação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) para proteger o meio ambiente, avaliar os impactos e, ao mesmo tempo, criar uma estratégia, proporcionando desenvolvimento sustentável.

“Os benefícios da implementação desse sistema são a redução de custos em função de uma mentalidade sustentável, o aumento da competitividade da empresa no mercado e maior eficiência na fabricação de produtos. Outra certificação no mesmo período foi a IATF 16.949, norma que reúne requisitos para um Sistema de Gestão da Qualidade focado em empresas da cadeia automotiva”, explica.

Nas palavras de Jaquetto, segurança, qualidade, inovação & tecnologia, esses são alguns pilares que há 60 anos sustentam a marca Cobreq e fazem dela uma das maiores fornecedoras em itens para sistema de freios para montadoras e mercado de reposição. “Ela é referência mundial, destacando-se como especialista em tecnologia de fricção, atendendo inclusive o mercado internacional, para todos os segmentos: veículos de passeio, comerciais (caminhões e ônibus) e motocicletas, sempre investindo para o alcance da satisfação dos clientes e inovações para o mercado”.

Relacionamento

Jaquetto coloca que os aplicadores estão cada vez mais especializados e conhecedores das tecnologias que fazem a diferença na instalação, no desempenho e, principalmente, na segurança dos veículos. E quando um aplicador utiliza uma marca, ele necessita ter a confiabilidade. Por isso, “a cada nova recomendação, a cada nova comprovação de que oferecemos um produto de qualidade e que atende às expectativas ganhamos mais um aplicador parceiro. É assim que construímos a confiabilidade que torna a nossa marca presente em oficinas em todo o País”.

Por isso, acrescenta o executivo, “sabemos da importância dos varejistas que compõem a nossa cadeia e que são tão importantes para que nossos produtos cheguem até o aplicador. Desde os distribuidores, o varejo, os balconistas, que muitas vezes são decisivos na hora da escolha pelo nosso produto perante o aplicador, até o consumidor final, o dono do veículo. Precisa ser um ciclo de relacionamento muito bem estruturado, para que todas as etapas estejam em sintonia”, finaliza.

Compartilhe