Excelência em catalisadores automotivos, Umicore completa 30 anos no Brasil

“Através do uso de nosso know-how tecnológico, expertise científica e alcance corporativo, somos líderes do setor em sustentabilidade”, diz Stephan Blumrich

A Umicore é reconhecida globalmente por desenvolver processos limpos de produção. São centenas de patentes, produtos e soluções que promovem um planeta mais saudável e equilibrado. São mais de 200 anos de história e desenvolvimento de tecnologias avançadas nas áreas de catálise, energia & tecnologia de superfície, e reciclagem.

No Brasil, ela iniciou as suas atividades industriais no ano de 2003, com a aquisição dos negócios de grupo empresarial internacional, aqui instalado há mais de 50 anos. São cinco unidades fabris, nas cidades de Americana (SP), Guarulhos (SP) e Manaus (AM), e 607 colaboradores. A Umicore produz catalisadores automotivos, compostos de metais nobres, produtos e processos para galvanoplastia e atua na recuperação, reciclagem e refino de metais.

Stephan Blumrich, vice-presidente e diretor da Umicore – Foto: Divulgação

“Estamos comemorando os trinta anos de fabricação de catalisadores automotivos no Brasil na fábrica em Americana (SP). Essa fábrica foi idealizada pela Degussa S.A., em 1986, quando a legislação Proconve foi lançada. Ela foi realizada através de uma joint venture entre Degussa (60%) e Bradesco (40%) e iniciou sua produção em 01.10.1991”, conta Stephan Blumrich, vice-presidente e diretor da Umicore.

Ao longo desses 30 anos foram mais de 55 milhões de catalisadores produzidos na fábrica de Americana. A unidade catalisadores automotivos fornece principalmente para o mercado local e fora do País, para o mercado sul-americano. “Ao longo dos 30 anos já fornecemos mais de 1,2 milhão de catalisadores para a Austrália e mais 300 mil para Tailândia”, diz o executivo.

Sobre planos de expansão, ele conta que eles existem e que a implementação deles depende da demanda real do mercado.

Missão

Blumrich conta que a fábrica de catalisadores automotivos foi submetida a uma avaliação internacional e constatado que ela está com um alto nível de automação, caminhando para 4.0, e que na Umicore a sustentabilidade é a sua responsabilidade corporativa, ou melhor ainda, nossa missão. “Através do uso de nosso know-how tecnológico, expertise científica e alcance corporativo, somos líderes do setor em sustentabilidade”, destaca.

Ele acrescenta dizendo que eles estão determinados a repensar processos, transformar e focar nossos esforços em emissões líquidas zero de GEE (gases de efeito estufa), arrependimento zero e possibilidades infinitas. “Visando o zero, realmente, vamos tudo-incluso: estamos fechando lacunas, liderando mudanças, conectando pessoas, capacitando habilidades e recursos – abrindo novas oportunidades. E estamos preparados para colocar tudo para fora, convidando todos a participarem”.

Mensagem aos varejistas

Blumrich explica que o catalisador automotivo funcionando é um componente crucial para a proteção do meio ambiente e o bom funcionamento do veículo. E que catalisar danificado reduz o desempenho do veículo e aumenta o consumo de combustível.

“Nas condições brasileiras existem algumas dificuldades para manter o catalisador em bom funcionamento, a saber: falta de manutenção regular do carro, combustível adulterado, ambos podendo causar falhas de ignição e, portanto, um alto risco de fundição do catalisador, levando a destruição dele”.

Uma vez destruído, ele destaca que o catalisador não pode ser reparado, precisa ser trocado. “Existem quatro fornecedores locais para a compra de catalisadores de reposição, que trabalham com produtos homologados pelo Inmetro e, portanto, atendendo todos os requisitos para funcionamento e durabilidade”, finaliza.

Modernização da fábrica

A fábrica de catalisadores em Americana (SP) recebeu vários investimentos em ampliação e modernização. Segue a linha do tempo:

1990: Início da construção da primeira fábrica de catalisadores automotivos na América do Sul.

1991: Inauguração da operação de catalisadores automotivos em Americana, com capacidade de produção de 1,5 milhão de catalisadores/ano.

1992: Inauguração do Centro Técnico de Emissões Veiculares (CTEV).

1998: Expansão da fábrica de catalisadores automotivos, com capacidade de produção de 3 milhões de catalisadores/ano.

1998: Inauguração do Laboratório de Protótipos, importante para o desenvolvimento local de catalisadores.

2009: 1ª Expansão do CTEV – Instalação do dinamômetro para motores pesados ​​a diesel.

2013: 2ª Expansão do CTEV com instalação de novo dinamômetro de chassis 4×4.

Compartilhe