Corridas emocionantes e intensas marcam a terceira etapa da Old Stock Race

Grandes disputas e grid cheio fizeram o final de semana entrar para a história da competição

Redação Balcão Automotivo

A terceira etapa da Old Stock Race em Interlagos, no último domingo, trouxe muita emoção. Para muitos que testemunharam a corrida, uma das mais emocionantes dos últimos tempos, com 26 Opalas e Caravans rugindo seus mais de 300cv de potência.

Na primeira prova, largada emocionante com a trinca entre Ricardo Domenech, Pedro Gomes e Kleber Eletric. O pelotão inicial, ainda com Rogério Barbato, Rafael Lopes, Rodrigo Helal e Thiago Lourenço fez a torcida vibrar no início da prova.

Com o desenvolver da corrida, o piloto do Opala #17 passou a abrir espaço dos demais concorrentes. Embolados, demais carros seguiam na busca de melhores posições. Thiago Lourenço passou a escalar posições e já era o quarto colocado na segunda volta.

Pegas eletrizantes em Interlagos (FOTO ANTHONY KUNZE OSR)

No laranjinha, uma falha de Helal o fez sair da pista após tocar em Lourenço e Barbato, que precisou abandonar a prova pouco tempo após. Outro destaque para a briga entre Marcos Philippi e Rafael Lopes em pleno S do Senna, com ambos espalhando nas curvas.

Próximo ao meio da etapa, Kleber Eletric passou a se aproximar do líder Domenech, que faz um traçado defensivo. A disputa passou a ser franca no miolo do circuito, mas o #17 não permitia a passagem do Opala #70, de Eletric.

Helal, que passou a fazer uma prova de recuperação, também escalou várias posições. Para a parte final da corrida, disputa entre Marcos Philippi, Rafael Gomes e Luiz Carlos Zapelini.

Na nona volta Eletric consegue ultrapassar Domenech no fim da reta de chegada, dominando seu espaço após o S do Senna. Assim seguiu a disputa até o fim, com o pódio sendo completado por Thiago Lourenço em terceiro, Marcos Philippi em quarto, Pedro Gomes em quinto, e Luiz Carlos Zapelini em sexto.

Eletric disse que estava rápido durante todo o fim de semana. “A corrida foi maravilhosa, o carro está bom, vamos para a próxima. Isso que vai apimentar o campeonato”.

Terceiro colocado, Thiago Lourenço disse ter tido um fim de semana interessante. “Mesmo largando em sétimo, conseguimos um terceiro lugar importante”, disse.

Marcos Philippi, vencedor da Old Man, disse que a corrida foi bastante disputada. “As provas foram muito boas. Na segunda tive problemas no freio e agora é esperar pela próxima corrida para ter resultados melhores ainda”, disse.

Os comissários penalizaram Rafael Lopes em 20 segundos por usar um traçado não oficial, além de desclassificar Helal pelo incidente com Barbato.

Ricardo Domenech se prepara para corrida (FOTO ANTHONY KUNZE OSR)

Segunda prova
As emoções seguiram na prova complementar da terceira etapa. O piloto Georges Lemonias, que esteve fora da primeira por problemas no motor, retornou à pista. Outros carros que abandonaram também conseguiram se reabilitar para a corrida.

Na largada, Luiz Carlos Zapelini salta bem para chegar próximo aos ponteiros e, porta-a-porta, disputavam a liderança no S do Senna com Thiago Lourenço, Kleber Eletric e Ricardo Domenech. Na briga, toda a parte da frente do Opala #21 foi arrancada, sobrevoando os outros carros.

A disputa do segundo pelotão veio forte com Rafael Lopes, Marcos Philippi e Pedro Gomes. Logo atrás, Fábio Mencarelli, Konrad Viehmann, Grego Lemonias, Felipe Lemonias e Rogério Barbato dividiam centímetros da pista.

Felipe Matos, Kaká Freire e Konrad Viehmann passaram a escalar várias posições. Thiago Lourenço seguiu na frente, mesmo com o carro sem parte da carenagem, todo o motor exposto, e sofrendo todo tipo de pressão de Eletric. A diferença era apenas visual.

Antes da metade da prova, um acidente com Adriano Gomes fez girar o Safety Car por várias voltas. Ele bateu forte, sozinho, mas a segurança dos Old Stock foi provada, afinal nada aconteceu com o piloto.

Na relargada, todos em fila, vieram em busca de melhores posições. Rafael Lopes acertou Eletric, que ficou na contramão no S, sendo atingido também por Amaury Biem, que precisou abandonar. Grego Lemonias saiu do fundo do grid e escalou várias posições.

Thiago Lourenço que vinha na ponta abandonou por um problema inusitado: a mola do acelerador apresentou falha prendendo o pedal. Assim, franca disputa no final entre Rafael Lopes e Ricardo Domenech.

Mesmo com ambos cruzando na frente, após deliberação dos comissários de prova, a vitória ficou com Konrad Viehmann, seguido por Pedro Gomes, Rogério Barbato, Luiz Carlos Zapelini, Grego Lemonias e Felipe Lemonias.

Konrad Viehmann disse que a etapa foi desafiadora. “Na primeira prova tive problema com radiador, mas a segunda corrida nos premia, pois larguei em último para chegar ao pódio e com um resultado superior por conta das desclassificações que ocorreram”.

Domenech elogiou o nível da corrida. “Está muito disputado em altíssimo nível. Qualquer piloto que vier vai ver isso. Estão todos de parabéns”.

Rogério Barbato também comentou sua recuperação na segunda prova, chegando em P3 e vencendo na Old Man. “Foi bem legal. Na primeira corrida saí da prova estando bem colocado. Saí de trás na segunda e busquei mais um pódio”, comemorou.

A direção de prova desclassificou Rafael Lopes por fazer ‘zerinho' ao final da prova, penalizou Domenech em 20 segundos por uso do traçado não oficial no S do Senna, e desclassificou Marcos Philippi por irregularidade técnica.

A Old Stock Race volta ao Autódromo de Interlagos no dia 18 de junho, quando será disputada a quarta etapa do campeonato.

Compartilhe